fev 05

 

Um projeto ambicioso e completamente inovador na arquitetura entregará flora e fauna diretamente ao deserto de Omã.

 

O maior jardim botânico do mundo – super rico em flora, fauna e vida selvagem – está prestes a começar a ser construído em nada mais, nada menos, que um… deserto? Sim, isso mesmo! As empresas de arquitetura Arup, Grimshaw e Haley Sharpe Design divulgaram os planos de design e arquitetura do Jardim Botânico de Omã, um oásis de mais de 1.000 hectares que será construído no pé das montanhas Al Hajar, a cerca de 30 km da capital de Mascate. Assim que ele for construído, será o maior jardim botânico do mundo.

 

Com o objetivo de celebrar a biodiversidade de Omã, os jardins vão recriar os oito habitats de Omã (incluindo os rios, os desertos e as montanhas do país) com todas as 1.200 plantas originárias do Oriente Médio, e as 76 encontradas originalmente em Omã, entre elas de aloe e diferentes tipos de flores das montanhas de Omã.

 

Os projetos de construção dos jardins levarão em conta também a paisagem única em que ele vai estar, um terreno desértico que era um antigo fundo do mar, elevado pelas atividades tectônicas a cerca de 100 metros acima do nível do mar.  Além disso, o design também se orienta com outros aspectos naturais – como a posição do sol e os padrões climáticos – para otimizar a luz e a temperatura natural.

 

O Jardim Botânico de Omã também será sustentável e ecológico. Uma das ideias é o desperdício zero de água. O intuito é obter a mais alta designação verde em termos de arquitetura sustentável.

 

Já na cobertura dos jardins haverá também um centro de visitantes, instalações de educacionais e de pesquisa, bem como lojas e restaurantes.

 

Não está claro quando exatamente os jardins estarão abertos ao público, mas a construção está preparada para começar “imediatamente”, de acordo com uma declaração de imprensa.

 

Confira as fotos:

 

Nós, da Papel Semente, adoramos iniciativas sustentáveis como esta. E você? O que acha do maior jardim botânico do mundo?



  • POR Virgínia Falange
  • 05/02/18
  • Nenhum Comentário






Postar um comentário